Proxecto Epístola

----

Newton Freitas (1909-1996)

Diplomático e intelectual brasileño residente en Madrid, colaborador de revistas literarias como Correo Literario. Escribiu varios ensayos sobre Brasil e a súa cultura. Publicou nas editoriais Sudamericana, Nova, Poseidón, entre outras.
Epístolas
12 Destinatario/a [1]
Remitente [11]
Data Relación Remitente - Destinatario Orixe Destino [ O. ] [ T. ]
Data Relación Remitente - Destinatario Orixe Destino [ O. ] [ T. ]
Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Madrid
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane



[s/d]

Luis:

Há muito que não o vejo. Apareça, homem.

Abraços prá Maruja de Lídia e meus.

Newton

1975-02-24 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Nova York
Madrid
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 24/02/1975


Madrid, 24-2-75

Caro Seoane. Um abraço

Depois do teu telefonema providencial, tudo se esclareceu. Escrevemos uma carta ao Espertento e ele contestou. Tudo era e é como a Espasa-Calpe. Agora as editoras estão em contato. De editora a editora a coisa se resolverá melhor. Imajine que o Valle Inclán esteve três dias em Madrid. Telefonava todos os dias, às vezes duas –pela manhã e tarde– ameaçando visitas. Não apareceu. Talvez foi melhor assim. Lídia tinha interesse na presença do homem. Estava interessada em saber da etimologia de Esperpento, mas a consolei dizendo que isso é assunto para voce ou Dieste. Com a viuda do Baudi nos encontraremos novamente.
Ando saudoso, com morriña dos meus galegos. Estou relendo o Tirano Banderas e estou convicto que estamos diante de uma das melhores novelas do século. O corte moderno, cinematográfico (buñuelesco), audácia linguística, etc. Carlos Lacerda (o editor) está interessandíssimo em editar o Tirano; mostrará aos leitores do Brasil a influência do homem na novelística “best-selista” hispano-americana e na teatrologia também. Eu, meu caro, felicíssimo, pois serei o tradutor, trabalho que farei rezando, como se oficia uma missa solene. E isso que não sou católico.
Bem; ficou por aqui. Volto, portanto, a agradecer a gentileza do telefonema e a abraçar novamente o amigo.
Recomendações minha e de Lídia a Maruja.

Seu

Newton

Calle de Zurbano, 98

1971-08-00 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Madrid
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 00/08/1971


Madrid-Sabado, Agosto 1971

Luis:

Estou enviando-lhe copia do artigo de Lídia sobre Dieste e Galícia para seu desenho-ilustração, conforme lhe pedi em carta anterior. Logo que receba o seu trabalho, o mandarei para O Estado de São Paulo.
Espero que os amigos gostem do trabalho. É uma homenagem, pequena mas honesta.
Abraços para Maruja e os Dieste.

Saudades muitas.

Newton

1971-08-13 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Madrid
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 13/08/1971


Madrid, 13-8-1971

Meu Seoane. Um abraço.

Recebemos notícias de Vs. e isso é importante.
Escrevi ao Horta pedindo-lhe que envie a você o libro sobre o Peru. Já o fês? Aqui o calor canta. Estou enviando-lhe um suplemento do E[stado] de São Paulo para que Vs. tenham uma ideia do artigo de Lídia sobre Galícia e vocês. Morremos de saudade da semana que ai passamos. Foi uma pena não ter encontrado gaivotas em Rianxo. Mas nem tudo pode ser como se deseja.

Abrace por mim e Lídia a Maruja.
E creia-nos
Sempre amigos

Newton

1971-07-13 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Madrid
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 13/07/1971


Madrid, 13 de julho 1971

Meu caro Seoane. Um abraço.

Primeiramente venho agradecer-lhe –e a Maruja, muito mais–, as gentilezas que vocês nos culminaram nesse poucos dias que passamos em terras de Galícia. Foram curtas, é bem verdade, mas intensas. Vimos muitas coisas que sabíamos existir, porém agora as constatamos. Foi qualquer coisa assim como viver um sonho. Voltaremos! Não com canhões como Mac Arthur, mas com flores, como um verdadeiro beath.
Estou mandando por seu intermédio uns óculos para guiar de noite. São para o mestre Diestre. Isso, estou certo, lhe será útil nas suas rondas noturnas pelos caminhos de Santiago. Sei que o mestre tem bom olho mas não custa ajudar um pouco a natureza.
Estou ansioso de rever Galícia e os amigos. La Coruña é um país que uma vez visto a gente não esquece jamais. Abraços e muitos, para os Diestes e beije Maruja por nós.

Sempre às ordens, vão mais abraços.

Newton

1971-06-09 Remitente
de Newton Freitas,de Lidia Besouchet, a Luís Seoane
Madrid
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas,de Lidia Besouchet, a Luís Seoane en 09/06/1971


Madrid, em 9 de junho de 1971

Prezados amigos Luis e Maruja:

Depois de 5 mezes no Brasil, aqui cheguei, vindo por Lisbôa aonde Newton foi me esperar.
Por ele soube da feliz novidade da presença de vocês pela Galícia... Também recebi o anel que Marika me mandou, e desejava agradecer-lhe, mas não tenho o endereço dela, nem o de Varela. Peço que me mandem por favor.
Pensamos eu e Newton passar uns dias pela Galícia em julho, nas ferias, e gostaríamos que nos informasse de um bom lugar em Lugo, La Coruña ou Santiago para posar. Vocês devem saber o que é mais bonito para ver e aonde ficaremos melhor e mais perto de vocês para conversarmos. Pensamos depois descer por Portugal até Madrid, quem sabe mesmo indo até o Algarve.
Espero notícias suas e me desculpe de escrever em português, pois a pezar dos anos em Buenos Aires, continuo a ter dificuldades em me expressar em espanhol.
Newton manda abraços e eu muitos saudades a vocês dois.

Velha amiga

Lídia

1971-01-28 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Madrid
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 28/01/1971


Madrid, 28-1-71

Meu caro Luis: Um abraço.

Recebemos sua carta. Ficamos e estamos esperando notícias dos Diestes. Enviamos, por seu intermédio, um par de óculos noturnos e um remédio. Receberam?
Lídia espera uns dados e o discurso académico do Dieste, prometidos pela Carmem. O que é que há?

Abraços pra Maruja, e um grande abraço do seu

Newton

1955-01-11 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Bruxelas
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 11/01/1955


Bruxelas, 11 de janeiro [1]955

Meu caro Seoane:

Há muito tempo que não tenho notícias de voces. Onde, diabos andam! Há dias estive em Paris, vésperas de Natal e fui procurar o Colmeiro. Encontrei a porta do seu atelier fechado, e assim mergulhei na ignorância de notícias dos meus galegos queridos. Mas nós somos pedras duras; e algum dia nos encontraremos por este mundo de Deus. Soube pelo Carybé que andas funcionando muito. Pintando bastante, e o que é melhor, bem. Parabéns. Soube também que o grande Cuadrado aperfeiçoou suas palestras –baratin galico– e tem apezar da idade uma coorte feminina bem avantajada. Ainda bem. Deste bribon de Valera nem é bom falar... Pressinto suas artimanhas célticas. Não tenho coragem de voltar a Buenos Aires, muito embora saiba de antemão que vou encontrar os amigos distantes e queridos –o que é sempre um prazer– mas em contraposição tantas mulheres que amei e ainda amo (sou constante) envelhecidas. É muito para meus pobres e cansados nervos. Isto sem contar o espectáculo que darei como copiosos cabelos brancos, argenté. Mas agora que já fiz esta oportuna introdução vou entrar no assunto. Ah! Amigo, uma carta é sempre um pedido e esta não foge à regra. Terminei uma monografia sobre Cicero Dias e me parece que a coisa está apresentável. A monografia encaixa bem na Colección Mar Dulce, caso ela ainda exista. O material fotográfico é excelente. Escrevia-a para o Serviço de Documentação do Rio. Se houver algum interesse, mande-me dizer que enviarei uma copia completa. Senão, porque preciso tirar alguma coisa de voces, mande-me um exemplar do livro do Carlos Drumond de Andrade, aparecido em Botella al mar.
Continuo trabalhando por aqui ainda uns dois meses, porque pressinto que serei transferido para Londres. Como voce costuma aparecer em Londres, é muito possível que este ano ainda nos encontremos. Lídia manda lembranças para Maruja. Eu também. Recomende-me a todos e mande notícias desta gente tão ingrata, porém tão simpática,

seu

Newton

Newton Freitas
L´Ambassade du Bresil
Avenue Louise, 108
Bruxelles-Belgique.

1949-06-22 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Bos Aires
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 22/06/1949


Buenos Aires, 22 de junho de 1949

Meu querido Seoane:

Aqui cheguei há quase um mês e já me disponho a partir novamente para o Rio onde, como voce sabe, resido atualmente. Escrevi-lhe uma carta para o Recife mas aqui chegando e conversando com Cuadrado e Varela, me dou conta que voce não a recebeu. Volto a explicar o motivo do nosso desencontro no Rio. Imagine que abreviei minhas ferias em Vitória só para ter o prazer de ser seu cicerone no Rio. Infelizmente isto não aconteceu. E a culpa, meu velho Luis Seoane, foi única e exclusivamente da Companhia Francesa de Navegação que me levou todo o dia enganando-me, dando-me informações falsas e outras brincadeiras de mal gosto, pelo estilo. Disse-me a Companhia, três vezes por telefone e uma pessoalmente, que o navio chegava às seis da tarde e quando lá cheguei com meus amigos, resulta que o navio já tinha saído, pois chegara precisamente antes, muito antes das seis horas da tarde daquele dia. Havia combinado com os amigos uma recepção, com jantar e tudo até com fotógrafo. Atualmente estão em Paris varias das pessoas com quem eu tinha combinado o tal encontro. Ai estã o Santa Rosa, Paulo Mendes Campos, jovem poeta que desejo que voce conheça e outros mais. Não pude dizer a voce o quanto me agradou o Jaburuna o que faço agora. Está um primor. Muito obrigado, Seoane, outra vez muito obrigado. Mas faça-me um favor: Procure na embaixada do Brasil ao Cicero Dias e diga-lhe que lhe dê a direção do Paulo Mendes Campos. Diga ao Cicero Dias que possivelmente ele não se lembre mais de mim, pois o conheci em 1930. Mas que temos tantos amigos em comum que tomo a liberdade de apresentá-lo a ele. Pergunte também pelo Sérgio Milliet e pelo português Novais Texeira. Toda essa gente está em Paris e é uma pena que voce não se aviste com eles. Estou trabalhando no Ministério das Relações Exteriores, S. de Imprensa, no Rio e resido no Pax Hotel, Praia do Russell, 106. Mande-me notícias e disponha de seu amigo certo

[Manuscrito:] Recomendenos a Maruja, a Colmeiro e Dieste

Newton

1945-10-14 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Bos Aires
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 14/10/1945


B. Aires 14/10/45

Newton Freitas convida ao Sr. Luis Seoane para o jantar que ele ofrecerá no próximo dia 17, às 21 horas, no hotel Espanhol, ao poeta Augusto Federico Schmidt.

T: 35-5286

Sen firma (é o convite para un xantar)

1945-07-11 Destinatario/a
de Hildon Rocha, a Luís Seoane, a Newton Freitas
Rio de Janeiro
Bos Aires
Transcrición

Transcripción da epistola de Hildon Rocha, a Luís Seoane, a Newton Freitas en 11/07/1945


Río, 11-7-45

Meu caro Newton Freitas1

Somente agora resolvi escrever-lhe. Há muito penso nisto, acredite. Mas esperava que fossem publicados os dois trabalhos que remeti, e que viesse de você alguma conversa ao respeito. Uma explicação de como deveria realmente ser feito.
Ante-ontem recebi três números do Correo. Bons, e darei uma notícia delas, especialmente do que traz as homenagens ao nosso imenso Mário de Andrade. Vou transcrever um trecho do artigo daquele cidadão que fala na carta que Mário mandou a você, e a censura “colheu”. Darei todas as notícias de edições novas daí. Mando depois exemplares de revista pra você mostrar aos editores e se interessar em que eles me mandem os livros.
Não sei se o trabalho que mandei está bem feito. Se é assim mesmo que deve ser. Me escreva indicando o que você acha que eu deva fazer. Quanto ao noticiário no Panorama literario do Vamos ler, dos livros argentinos, seria bom que isso interessasse aos editores daí. Enfim, acredito que você fará o que possa, pra que tudo caminhe direitinho.
Me interessei em publicar um capítulo do seu livro de ensaios, na revista. Como lhe prometi, era intenção minha, logo saísse o livro, fazer uma crónica pra sair com seu retrato. Falei como o Chico Barbosa sobre o assunto, lhe disse que você esperava meu artigo, etc. Garantiu-me o Chico que me mandaria o livro. Porém até hoje, dia 11 do mês de julho do ano 1945! Tenho pensado em ir a livraria e comprar o livro, você merece o gasto. Mas o medo de chegar o da editora, me tem feito adiar. Acabo comprando se o Barbosa não me mandar. Não o tenho encontrado. Se isso acontece, falo a ele. Acho que não fizeram uma distribuição que permitisse uma boa publicidade. O Zelio é horrível nesse negócio de desinteresse pelas edições. Nem sei como ele manda os livros para os livreiros. Gostaria que o freguês fosse directamente à editora Zelio Valverde comprar o último livro. Edita mal e distribui mal. Agora pergunto, como faria o Mário de Andrade: “Que é que se há de fazer?”. Ainda não entendo como você entregou seu livro àquela gente. Enfim, a capa está interessante, o que indica ter sido “ideia” sua, e não do editor.
Vai este trabalho, Newton: uma crónica sobre o nosso muito doido Rubem Braga, e as noticiasinhas de algum interesse. Tudo aqui é política. Ou quase tudo. Falta você pra “orientar”. Mande umas palavrinhas.

Manda um grande abraço pra você o

Hildon Rocha

1 Carta de Hildon Rocha a Newton Freitas que posteriormente foi remitida a Luis Seoane, pero non sabemos data certa de reenvío.

1942-06-10 Remitente
de Newton Freitas, a Luís Seoane
Bos Aires
Transcrición

Transcripción da epistola de Newton Freitas, a Luís Seoane en 10/06/1942


Buenos Aires, 10 de Junho-42

Meu querido Luis Seoane

Un abraço
Agradeço sua gentileza pelo envio de Eh! Toros. Sensibilisou-me o desenho dedicado a mim. Voce é uma criatura adorável! Os seus gravados têm um ar homorístico, uma delicadesa poética e humana difícil de se encontrar no género. Gosto de seu traço, de suas linhas. O desenho (contornos) –talvez porque tenha a vista acostumada as montanhas de meu país– calam mais em mim e sugere-me aspectos da minha infância nunca olvidados porém, às vezes, adormecidos. Agradeço-lhe o presente e espero breve ter o prazer de abraçá-lo.

Seu

Newton

Recomende-me ao Cuadrado e agradeça a gentileza do pessoal de Emecé, por me ter enviados tantos livros. Gostaria de receber Las pampas e Floresta.

No reverso no que figura a postdata hai tres esbozos a lápiz que aparecen enmarcados.